Este artigo foi escrito por Drew Chafetz, co-fundador da love.fútbol, Mike Geddes, diretor executivo da streetfootballworld EUA (publicado originalmente no site da Forbes e traduzido para português por Manoel Salgado Neto, voluntário #lovefútbol). A love.fútbol foi a vencedora do desafio “Mudando Vidas Através do Futebol” lançado na plataforma Changemakers da Ashoka.

Estimava-se que a Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil seria o evento mais amplamente visto na história, superando os 3,2 bilhões de espectadores da Copa do Mundo de 2010. Ofuscando a Copa do Mundo de 2014, havia uma crescente discussão sobre o papel social e a responsabilidade do esporte mais popular do planeta.

Os debates em torno da Copa do Mundo, em última análise, sublinham que o futebol é mais do que um jogo e uma indústria multibilionária. Com um número estimado de 3,5 bilhões de fãs ao redor do mundo, indiscutivelmente não há outro fenômeno social com o mesmo poder de inspirar, unir e conectar como o futebol. Como uma linguagem global, o futebol pode fornecer uma maneira extremamente eficaz e eficiente de envolver os jovens em ambientes com recursos escassos.

As meninas de Penedo de Cima, Pernambuco, Brasil, são competitivas e levam público à quadra - primeiro espaço público comunitário em décadas.

As meninas de Penedo de Cima, Pernambuco, Brasil, são competitivas e levam público à quadra - primeiro espaço público comunitário em décadas.

Por 25 anos, o futebol tem ficado na frente do crescimento do setor de “esporte pelo desenvolvimento e paz - sport for development and peace” (SDP). Organizações Não-governamentais por todo o mundo estão usando o poder de convocação do futebol para envolver a juventude e atingir problemas que vão de educação, desigualdade de gêneros, saúde e resolução de conflitos. Contudo, apesar do reconhecimento das mais importantes instituições de desenvolvimento social do mundo, incluindo as Nações Unidas, USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional) e o BID (Banco Interamericano de Desenvovimento), muitas organizações do SDP estão lutando para alcançar sustentabilidade financeira. Pesquisas anuais conduzidas pela streetfootbalworld, uma rede de mais de 100 organizações de futebol pelo desenvolvimento ao redor do mundo, identificam repetidamente que arrecadação de fundos tem sido o maior desafio para o setor.

Reconhecendo o enorme potencial do futebol para gerar, primeiramente, paixão, depois participação e posteriormente receita, muitos empresários sociais no setor estão inovando com novos modelos de sustentabilidade financeira. Organizações como love.fútbol, Street Soccer USA e Kick4Life têm explorado novos modelos de geração de receita, ao invés de confiar somente nos doadores. A grande popularidade do futebol e o poder como um motor de marketing para as empresas está mudando significativamente a forma como as organizações SDP alcançam a sustentabilidade financeira. Algumas organizações SDP também estão explorando como o negócio do futebol pode ser usado de novas formas para criar oportunidades de aliviar a pobreza nas comunidades.

Modelos híbridos permitem uma abordagem orientada para o mercado de geração de receita + impacto

A Street Soccer USA é uma organização sem fins lucrativos e isenta de impostos dos Estados Unidos que foi criada para oferecer habilidades gerais, saúde e serviços de empregabilidade para homens e mulheres que vivem em abrigos, utilizando um currículo educacional baseado em jogos de futebol e treinos.

“Sem modelos de receita óbvios, nós nos encontramos confiando em doações para sustentar os nossos programas sociais”, disse o Lawrence Cann, o fundador da Street Soccer USA. "Descobrimos que as receitas recebidas de financiamento público e até mesmo muitas fundações era muito restritivo para permitir-nos a crescer. "

Para Cann, a solução foi fazer uma abordagem orientada para o mercado para os principais ativos de sua organização. "Olhamos para os nossos pontos fortes e percebemos que poderíamos alavancar nossos ativos para ganhar fundos sem restrições", diz ele. "Como uma organização de futebol, temos um profundo conhecimento do mercado e somos capazes de oferecer serviços de alta qualidade que são melhores do que a concorrência. Porque nós também estamos oferecendo um resultado social, isso nos dá uma vantagem competitiva no mercado ".

Nos últimos anos, a organização incorporou a empresa sustentável à sua missão. As organizações sem fins lucrativos criaram uma associação LLC, que organiza campeonatos de futebol amador e torneios de equipes corporativas e comunitárias. A receita gerada sustenta a organização e ajuda a financiar suas atividades de impacto social, tais como o Programa de Juventude, que envolve jovens que vivem em abrigos de famílias sem teto e moradias de baixa renda. O modelo híbrido também permite a Street Soccer EUA criar postos de trabalho para os seus ex-alunos, que agora podem ser encontrados gerenciando eventos e ligas de futebol de lazer de Nova Iorque a São Francisco.

"Nós provamos a nós mesmos que éramos capaz de fazer. Juntos podemos e vamos fazer mais" -Fernando, presidente do comitê love.fútbol do projeto Cururuquara, São Paulo.

"Nós provamos a nós mesmos que éramos capaz de fazer. Juntos podemos e vamos fazer mais" -Fernando, presidente do comitê love.fútbol do projeto Cururuquara, São Paulo.

Aproveitando o poder de mobilização do futebol para a receita + Alívio da Pobreza

A Kick4Life é uma instituição de caridade britânica que utiliza o futebol para fornecer cuidados holísticos para crianças vulneráveis o Lesoto, um pequeno país do Sul da África. A organização usa o jogo como uma plataforma para atingir os jovens com mensagens educativas sobre saúde sexual, e até mesmo para fornecer testes médicos gratuitos em torneios de futebol. Mas depois de receber um novo campo de futebol como parte da campanha de legado social da Copa do Mundo da FIFA 2010, a organização descobriu que ele era um próspero hub na comunidade, podendo ser aproveitado para retornos sociais e financeiros.

Da mesma forma que arenas desportivas profissionais nas grandes cidades, esta instalação de futebol serviu como um projeto de desenvolvimento imobiliário em um nível micro, levando à construção de um hotel e restaurante e até forneceu uma plataforma para o primeiro programa de reciclagem do país. A Kick4Life aproveita este recurso para implementar seus programas de desenvolvimento social e criar oportunidades de emprego para os jovens. Uma parte dos lucros destes empreendimentos é canalizado de volta para a caridade.

"Atualmente, cerca de 20% da nossa receita é gerada pela empresa social", diz o co-fundador da Kick4Life, Steve Fleming, "mas no futuro, nós queremos que isso chegue aos 50%”.Nessa direção, a organização lançou recentemente um clube de futebol profissional para ajudar a financiar e aumentar a consciência sobre suas atividades de caridade.

Em parceria com empresas e aproveitando os campos de futebol para a sustentabilidade financeira

Apesar de um número crescente de inovadores adotando uma abordagem híbrida para a sustentabilidade financeira, o setor como um todo ainda tem que encontrar uma estratégia de negócio social que possa impactar todo o sistema. A love.fútbol, o entanto, pode estar estabelecendo um modelo que poderia fazer exatamente isso.

Desde 2006, a love.fútbol vem colaborando com comunidades carentes na América Latina para a criação de campos de futebol de propriedade local onde os jovens anteriormente careciam de espaços seguros para jogar. A organização estabeleceu sua missão alinhada com a necessidade de todo o setor: muitas organizações SDP por vezes lutaram para garantir espaços seguros dentro das comunidades-alvo, onde elas poderiam alcançar os jovens com os seus programas baseados em futebol.

O cerne do modelo love.fútbol é o fato de que a própria comunidade é um parceiro em um risco conjunto de custo, com poderes para planejar, construir, manter e gerir o campo de futebol como um negócio social. Através deste modelo, o campo de futebol torna-se muito mais do que um espaço para jogar e se torna uma expressão de capacitação da comunidade e uma plataforma para as empresas locais. Um campo de futebol bem gerido instantaneamente torna-se um ponto focal para eventos da comunidade e empresas, e até agora, as comunidades têm usado os campos para hospedar torneios organizados de futebol, concertos de música, e publicidade para as empresas locais. Toda a receita gerada por essas atividades podem ser direcionados para a manutenção do campo e apoio a novos programas comunitários.

Vista geral do projeto Cachoeira, Alagoas, Brasil.

Vista geral do projeto Cachoeira, Alagoas, Brasil.

Com este modelo, a love.fútbol criou espaços seguros para o futebol em 18 comunidades. Comunidades se apropriam e mantém os campos. E a organização se mantém à tona, prin ou cipalmente através do patrocínio de empresas como a Coca-Cola, e, mais recentemente, uma parceria com Under Armour. A love.fútbol também começou a funcionar como intermediária ou um ponto de acesso entre empresas e suas comunidades de parceiros, eventos estratégicos e serviços que geram rendas que contribuem para a sustentabilidade da organização. Ela está atualmente investigando a possibilidade de expandir este modelo em várias regiões do mundo.

Escalando o esporte para o setor de desenvolvimento

Talvez o grande potencial de mudança do setor de SDP seja percebido quando vários atores neste campo adotarem modelos que apoiem a sustentabilidade financeira um do outro e ajude a escalada de todo o setor. Por exemplo, se uma organização como a love.fútbol é capaz de ajudar mais comunidades a estabelecer campos de futebol e transformá-los em ativos geradores de receita, essas comunidades vão desbloquear seu acesso aos programas de SDP. Se campos de futebol podem gerar receita suficiente (isto é, por meio de anúncios, contratos de marketing de causa, e crescimento do negócio local), estas comunidades podem ajudar a apoiar programas de desenvolvimento social a longo prazo financeiramente também.

Nelson Mandela disse uma vez: "O esporte tem o poder de mudar o mundo." Como Mandela, acreditamos no potencial do esporte para resolver alguns dos desafios mais difíceis do mundo. Mas, perceber esse potencial vai exigir uma nova abordagem para a sustentabilidade financeira de organizações SDP e das comunidades que os acolhem. Através do desenvolvimento de novos modelos de negócios e parcerias inovadoras, o esporte para o setor de desenvolvimento está pronto para desencadear enormes possibilidades de impacto e um futuro sustentável.


Gostou do artigo? Compartilhe com seus amigos e amigas e ajude-nos a espalhar a missão da love.fútbol para mais pessoas! :)


Quer contribuir com a missão de fortalecer comunidades através da paixão pelo futebol?

Comment